Tumor de Wilms

Clique nos títulos abaixo para saber mais:

O Tumor de Wilms (ou Nefroblastoma) é, embora raro, o câncer renal infantil mais comum, acometendo principalmente crianças na faixa de 2 aos 5 anos. Em geral, a criança apresenta um tumor em um rim e são bem raros os casos em que tenha mais de um tumor num só rim ou tumores em ambos os rins. Porém como esses tumores têm crescimento acelerado e os sintomas demoram a aparecer, muitas vezes no momento do diagnóstico eles já estão grandes podem ter se espalhado a outros órgãos – dentre eles o pulmão. Quando o diagnóstico é feito em estágio inicial, o tumor tem 95% de chance de ser curado.

Embora ainda não se saiba exatamente o que leva a criança a desenvolver esse tipo de câncer, alguns fatores de risco são associados à doença:

  • Idade entre 2 e 5 anos;
  • Sexo feminino;
  • Doenças congênitas raras como as síndromes de WAGR, de Beckwith-Wiedemann, de Denys-Drash e a Síndrome de Edwards (trissomia do cromossomo 18);
  • Fator genético, sendo um dos vários tipos de câncer associado à Síndrome de Li-Fraumeni.

A informação existente neste site pretende apoiar e não substituir a consulta médica. Procure sempre uma avaliação pessoal com o Serviço de Saúde.

 

FONTES DE REFERÊNCIA:

Instituto Oncoguia

Vencer o Câncer

INCA

Hospital A.C.Camargo

Pesquisa: Liga de Oncologia UFRGS (acad. Thaymê Pires)

Os Tumores de Wilms são classificados em dois subtipos principais de acordo com o seu aspecto ao microscópio:

Histologia Favorável: as células são levemente anormais, ou seja, não são completamente normais, mas não apresentam anaplasia. Representam mais de 90% dos casos e têm boas chances de sucesso no tratamento;

Histologia Desfavorável: também chamados de Anaplásticos, são aqueles em que a aparência das células é amplamente variável, os núcleos das células, que é onde fica o DNA, aparecem aumentados e distorcidos.

A informação existente neste site pretende apoiar e não substituir a consulta médica. Procure sempre uma avaliação pessoal com o Serviço de Saúde.

 

FONTES DE REFERÊNCIA:

Instituto Oncoguia

Instituto Vencer o Câncer

INCA

Hospital A.C.Camargo

Pesquisa: Liga de Oncologia UFRGS (acad. Thaymê Pires)

Esse tipo de tumor pode se manifestar somente como uma massa abdominal palpável ou apresentar vários sintomas associados ao acometimento renal: infecção urinária, hematúria, hipertensão arterial ou dor no abdome. A criança com Tumor de Wilms pode permanecer em bom estado geral durante a maior parte da evolução, às vezes apresentando somente perda de apetite. Outros sintomas gerais podem ser evidenciados como náusea, febre e constipação. Caso já tenham surgido metástases, sintomas relacionados ao órgão acometido podem surgir, como é o caso da falta de ar quando o pulmão é lesionado.

A informação existente neste site pretende apoiar e não substituir a consulta médica. Procure sempre uma avaliação pessoal com o Serviço de Saúde.

 

FONTES DE REFERÊNCIA:

Instituto Oncoguia

Vencer o Câncer

INCA

Hospital A.C.Camargo

Pesquisa: Liga de Oncologia UFRGS (acad. Thaymê Pires)

O diagnóstico é feito por exames de imagem como raio-X, ultrassom, tomografia computadorizada, ressonância magnética e tomografia por emissão de pósitrons (PET-CT); além de exames de sangue e urina. Na maioria das vezes, não há necessidade de biópsia para o diagnóstico de Tumor de Wilms.

A informação existente neste site pretende apoiar e não substituir a consulta médica. Procure sempre uma avaliação pessoal com o Serviço de Saúde.

 

FONTES DE REFERÊNCIA:

Instituto Oncoguia

Instituto Vencer o Câncer

INCA

Hospital A.C.Camargo

Pesquisa: Liga de Oncologia UFRGS (acad. Thaymê Pires)

O tratamento consistente essencialmente em cirurgia, sendo que, na maioria das vezes, é necessária a retirada do rim afetado – a nefrectomia – , além da retirada dos gânglios linfáticos próximos. Naqueles casos em que os dois rins são acometidos, retira-se uma porção do rim, preservando parte do órgão que esteja livre de células tumorais e que ainda possam preservar a função renal. Além da cirurgia, os pacientes também recebem tratamento com quimioterapia de acordo com a extensão da doença e, em alguns casos, a radioterapia também pode ser indicada.

A informação existente neste site pretende apoiar e não substituir a consulta médica. Procure sempre uma avaliação pessoal com o Serviço de Saúde.

 

FONTES DE REFERÊNCIA:

Instituto Oncoguia

Instituto Vencer o Câncer

INCA

Hospital A.C.Camargo

Pesquisa: Liga de Oncologia UFRGS (acad. Thaymê Pires)

Ainda não registramos nenhum depoimento sobre esse tipo de Câncer.

Ainda não registramos nenhum depoimento sobre esse tipo de Câncer. Quer contar sua história e inspirar outras pessoas?
Clique aqui e mande seu depoimento