Sarcomas de Partes Moles

Clique nos títulos abaixo para saber mais:

Existem muitos tipos de Tumores de Partes Moles, mas nem todos são malignos. Quando o termo Sarcoma é parte do nome da doença, significa que o tumor é maligno (câncer). No entanto alguns tumores de partes moles se comportam tanto como malignos e benignos e são denominados intermediários.

O Sarcoma é um tipo de câncer que se desenvolve a partir de certos tecidos, como osso ou músculo. Os dois tipos principais são os Sarcomas Ósseos e os Sarcomas de Partes Moles. Os Sarcomas de Partes Moles podem se desenvolver a partir de tecidos, como músculo, gordura, nervos, tecidos fibrosos, vasos sanguíneos ou tecidos mais profundos da pele. Cerca de 50% do peso do corpo humano é constituído pelas chamadas partes moles, como músculos, gordura, tendões, ligamentos, vasos sanguíneos, nervos periféricos e outros tecidos. Eles podem ser encontrados em qualquer parte do corpo, mas a maioria se apresenta nos braços ou pernas. Eles também podem ser encontrados no tronco, cabeça e pescoço, órgãos internos e no retroperitônio (área em volta da cavidade abdominal). Os Sarcomas não são tumores comuns e sua maioria é denominada Carcinoma.

A informação existente neste site pretende apoiar e não substituir a consulta médica. Procure sempre uma avaliação pessoal com o Serviço de Saúde.

 

FONTES DE REFERÊNCIA: 

Instituto Oncoguia

Hospital A.C.Camargo

Pesquisa: Liga de Oncologia UFRGS (Rossana Figini Maciel)

Existem mais de 50 tipos diferentes de sarcomas de partes moles. Alguns são bastante raros e nem todos estão listados aqui:

  • Fibrossarcoma;
  • Sarcoma de partes moles alveolar;
  • Angiossarcoma;
  • Sarcoma de células claras;
  • Tumor de células desmoplásicas pequenas e redondas;
  • Sarcoma epitelioide;
  • Sarcoma fibromixoide de baixo grau;
  • Tumor estromal gastrointestinal (GIST);
  • Sarcoma de Kaposi;
  • Lipossarcomas;
  • Mesenquimoma maligno;
  • Tumores dos nervos periféricos malignos;
  • Mixofibrossarcomas de baixo grau;
  • Rabdomiossarcoma;
  • Sarcoma sinovial;
  • Sarcoma pleomórfico indiferenciado.

Tumores de Partes Moles Intermediários

Este tipo de tumor pode crescer e invadir os tecidos e órgãos próximos, mas tendem a não se disseminar para outras partes do corpo. Seus subtipos são:

  • Dermatofibrossarcoma protuberante;
  • Fibromatose;
  • Hemangioendotelioma;
  • Fibrossarcoma infantil;
  • Tumor fibroso solitário.

A informação existente neste site pretende apoiar e não substituir a consulta médica. Procure sempre uma avaliação pessoal com o Serviço de Saúde.

FONTES DE REFERÊNCIA:

Instituto Oncoguia

Hospital A.C.Camargo

Pesquisa: Liga de Oncologia UFRGS (Rossana Figini Maciel)

Os sintomas de sarcomas de partes moles variam de pessoa para pessoa e não costumam se manifestar nos estágios iniciais da doença; por isso, apenas metade dos sarcomas desse tipo é diagnosticada precocemente. Além disso, eles variam de acordo com a parte do corpo em que se desenvolvem. Nos braços e nas pernas, por exemplo, podem causar um nódulo que cresce por semanas ou meses, que nem sempre causa dor. Quando se desenvolvem no retroperitônio, a parede de trás do abdome, podem causar dor. Os sarcomas de partes moles podem bloquear o estômago ou os intestinos e também causar sangramentos.

  • Crescimento de nódulo ou caroço em qualquer parte do corpo;
  • Dor abdominal que piora com o tempo;
  • Sangue nas fezes ou vômito;
  • Fezes escuras ou negras, sinal de que há sangramento interno.

A informação existente neste site pretende apoiar e não substituir a consulta médica. Procure sempre uma avaliação pessoal com o Serviço de Saúde.

FONTES DE REFERÊNCIA:

Instituto Oncoguia

Hospital A.C.Camargo

Pesquisa: Liga de Oncologia UFRGS (Rossana Figini Maciel)

O paciente com sarcoma nos braços ou nas pernas apresenta um pequeno nódulo que costuma ser chamado “lobinho”, que geralmente são indolores, ao menos no início. Mas eles crescem muito e bem depressa. O exame físico já levanta a suspeita do diagnóstico. Durante a consulta será perguntado seu histórico clínico completo, incluindo informações sobre os sintomas apresentados, possíveis fatores de risco, histórico familiar, e outras condições clínicas. É importante conversar com seus médicos sobre o aparecimento de qualquer lesão inexplicável. Exames por imagem podem ser pedidos para ver se o sarcoma atingiu outros órgãos.

O diagnóstico definitivo é obtido por meio de biópsia por agulha grossa, guiada por ultrassonografia ou tomografia. A análise do material vai definir também o tipo histológico (isto é, o tipo de célula) do tumor, se lipossarcoma (tumor do tecido gorduroso), se rabdomiossarcoma (tumor maligno de músculo estriado) ou outro dos vários tipos de sarcoma de partes moles. Esse exame também determina o grau de malignidade do tumor, que é importante para a escolha do melhor tratamento.

A informação existente neste site pretende apoiar e não substituir a consulta médica. Procure sempre uma avaliação pessoal com o Serviço de Saúde.

 

FONTES DE REFERÊNCIA:

Instituto Oncoguia

Hospital A.C.Camargo

Pesquisa: Liga de Oncologia UFRGS (Rossana Figini Maciel)

Os principais tipos de tratamento para o sarcoma de tecidos moles são a cirurgia, radioterapia, quimioterapia e terapia alvo.

É importante que todas as opções terapêuticas sejam discutidas com o médico, bem como seus possíveis efeitos colaterais, para ajudar a tomar a decisão que melhor se adapte às necessidades de cada paciente.

A informação existente neste site pretende apoiar e não substituir a consulta médica. Procure sempre uma avaliação pessoal com o Serviço de Saúde.

FONTES DE REFERÊNCIA:

Instituto Oncoguia

Hospital A.C.Camargo

Pesquisa: Liga de Oncologia UFRGS (Rossana Figini Maciel)

Ainda não registramos nenhum depoimento sobre esse tipo de Câncer.

Ainda não registramos nenhum depoimento sobre esse tipo de Câncer. Quer contar sua história e inspirar outras pessoas?
Clique aqui e mande seu depoimento